Blog Aqui vamos conversar, refletir e de certa forma conviver.

Meditação Bíblica

Nas Igrejas antigas, nesse 6o domingo da Páscoa, lê-se que, durante a ceia, Jesus fez aos discípulos e discípulas a promessa de enviar a eles o seu Espírito como Consolador. (João 14, 15- 21). Precisamos receber, hoje, essa promessa para nós e para nossas vidas carentes de consolação. Ler mais
Nesse 5o Domingo da Páscoa, as Igrejas antigas começam a ler textos do discurso que o evangelho de João põe na boca de Jesus depois da ceia. Hoje, lemos João 14, 1- 12, um texto lindo, cheio do carinho de Jesus pelos seus discípulos e discípulas. Ler mais
Nesse quarto domingo da Páscoa, as Igrejas antigas escutam e proclamam o capítulo 10 do evangelho de João. Nesse ano, ano A, o texto lido é João 10, 1 - 10. É importante compreendê-lo no seu contexto para que ele possa ser para nós boa notícia e, ao mesmo tempo, uma palavra de Deus que nos interpela hoje e nos chama a segui-lo. Ler mais
Nesse domingo, as comunidades leem o evangelho de Emaús (Lucas 24, 13- 35). O importante é meditarmos sobre nossas Emaús de hoje, situações nas quais nos fechamos no passado e ficamos cegos para ver a novidade que Deus nos revela se nos abrirmos ao futuro e à vida. Ler mais
Jesus ressuscitado ressuscita os discípulos fazendo-lhes passar do medo à liberdade, à paz e à alegria... ao perdão. Ele nos convida, hoje, para essa ação de misericórdia: reconstruir as nossas vidas através do perdão a nós mesmos e do perdão aos outros. Às vezes, sofremos porque temos dificuldade de perdoar a nós mesmos/as. Ler mais
Cada vez mais sinto a Páscoa como uma profecia em um mundo absolutamente indiferente e mesmo hostil a essa mensagem de que a vida vence a morte e o amor é mais forte do que todas as opressões e injustiças do mundo​ e do que nossas desilusões pessoais. Ler mais
Hoje é o dia que antigamente as Igrejas chamavam de "Páscoa da Cruz". Isso significa que celebramos a vitória dada por Deus às muitas cruzes de nossas vidas, em primeiro lugar, à cruz de Jesus, mas também às nossas na vida pessoal e na vida do povo. Ler mais
No 5o domingo da Quaresma, as Igrejas antigas leem nesse ano o relato do que se costuma chamar "ressurreição de Lázaro", É bom lermos esse evangelho a partir da nossa vida e da realidade do mundo atual. Ler mais
Na Quaresma, desde a antiguidade cristã, tempo de iniciação ao batismo de adultos, a Igreja lê no quarto domingo da Quaresma o relato simbólico da cura do cego de nascença. Mais do que a reportagem de mais uma cura efetuada por Jesus, essa história simboliza nosso processo da escuridão de uma vida sem perspectivas para a iluminação que Jesus abre pelo batismo para a nossa missão no mundo (como cristãos ou não). Ler mais
As Igrejas antigas começam a Quaresma com o evangelho da tentação de Jesus no deserto (Mt 4, 1- 11). É importante reler essa narrativa simbólica à luz do que está acontecendo com o Brasil e o mundo. Ler mais
O evangelho lido pelas Igrejas históricas nesse domingo (Mt 6, 24 - 34) nos chama a viver uma relação diferente mais livre e mais comunitária com o ter as coisas e com a economia. E ao mesmo tempo desenvolver uma profunda comunhão com a natureza. Ler mais
Nesse 7o domingo comum do ano A, as Igrejas antigas leem o evangelho que continua a palavra de Jesus sobre as bem-aventuranças. Mateus 5, 38 a 48 é um texto belíssimo, mas pede de nós um olhar novo para compreendê-lo. Ler mais
Sobre o evangelho desse domingo, coloco aqui uma página do meu novo livro "Conversa com o evangelho de Mateus". É um diálogo com a comunidade do evangelho de Mateus que o escreveu nos anos 80 do primeiro século. E também dialogo com Cladilson Nardino, Jonathan Felix e Junior Centenaro, jovens da pastoral de hoje. Também participa da conversa nossa querida e saudosa irmã Agostinha Vieira de Melo que nesse ano partiu para a eternidade. Jesus anuncia que o reino dos céus traz uma nova justiça. Entra numa polêmica contra alguns escribas e fariseus. Há cristãos que entendem esses sete períodos como uma superação da lei a que consideram de "antiga". Ler mais
A insistência de Jesus é para que os seus discípulos e discípulas assumam a função que é de todo o povo de Israel que deve ser sal e luz. Isso significa que cada pessoa humana tem uma "reserva de luz". Este potencial luminoso está como que inscrito em nossas células e precisa ser desenvolvido. Ler mais
Jesus chamou os seus discípulos da Galileia e para a Galileia, a região mais pobre e periférica do seu país. Mais misturada em termos de cultura. Para nós, isso significa essa vocação evangélica para a interculturalidade e o diálogo entre as diversas espiritualidades. Ler mais
No evangelho que muitas comunidades cristãs leem nesse domingo, (João 1, 29- 34), João Batista dá testemunho sobre Jesus. Nós somos discípulos desse testemunho. Ler mais
De Correias, bairro de periferia e no interior de Petrópolis, onde estou no meio de um encontro do meu grupo de teologia (Emaús), faço essa meditação do evangelho proposto hoje pelo lecionário católico: Lucas, 16, 9- 15. Ler mais

Marcelo Barros

Camaragibe, Pernambuco, Brazil

Sou monge beneditino, chamado a trabalhar pela unidade das Igrejas e das tradições religiosas. Adoro os movimentos populares e especialmente o MST. Gosto de escrever e de me comunicar.

Informações

contato@marcelobarros.com